O Senado autorizou nesta terça-feira (17) a assinatura da linha de crédito externo para obras viárias em Santo André no valor de US$ 25 milhões – cotados em R$ 85,2 milhões.

O convênio com a entidade bancária foi encaminhado na gestão do ex-prefeito Carlos Grana (PT), em julho de 2016. A administração, naquele período, obteve sinalização favorável do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para financiamento de obras viárias no município. No entanto, devido ao Golpe Parlamentar sofrido pela presidenta Dilma em 2016, o Senado demorou mais de vinte meses para dar o parecer, após a prefeitura ter a sinalização favorável do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Serão 25 anos para amortização da dívida, tendo carência de 66 meses para começo da quitação do empréstimo.

Ao todo, o acordo com BID engloba US$ 50 milhões – equivalentes a R$ 170,4 milhões –, devido a uma contrapartida da Prefeitura de Santo André pela outra metade do montante. Os recursos externos já contam com enfoques iniciais definidos: a transposição do viaduto Castelo Branco sob o rio Tamanduateí, no bairro Santa Terezinha, e a segunda alça do viaduto Adib Chammas, na região central da cidade.

O acordo com o BID também prevê a construção de dois corredores exclusivos de ônibus na região central.  As vias também exigiriam uma frota de ônibus adaptada, com piso rebaixado, além de intervenções no entorno, como calçamento e novos abrigos para embarque e desembarque.

 

Carregar mais notícias
Carregar mais em Santo André

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vejam também

Congresso boliviano mantém reconhecimento a Evo como presidente

A partir da liderança do novo presidente da Câmara, parlamentares do MAS (partido de Evo M…