One Health: a tendência que promove a saúde coletiva

13/1/2021 – A gente precisa pensar nas três coisas: na saúde das pessoas, na saúde dos animais e no impacto no meio ambiente. A saúde única trabalha com foco nesses três.

Através de diferentes ações, esse tipo de estratégia permite a integração entre o ser humano, animais e meio ambiente.

Como a integração entre humanos e animais afeta a rotina? Com a pandemia esse assunto ficou ainda em mais evidência, tendo em vista que o novo Coronavírus surgiu através do contato de pessoas com animais selvagens em “mercados molhados”.

De acordo com um estudo do Instituto de Zoologia da Grã-Bretanha e da Escola de Saúde Pública de Hanói, do Vietnã, cerca de 2,5 milhões de pessoas morrem por ano em decorrência de doenças originadas em animais.

E dentro desse cenário o conceito de One Healtht (saúde coletiva ou saúde única em português) pode ser de grande ajuda. Ele diz respeito à integração entre a saúde animal, meio ambiente e saúde humana. Para isso, são desenvolvidas ações e políticas de prevenção e combate a enfermidades.

Atualmente, segundo a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), 60% das doenças infeciosas humanas são zoonoses. Além disso, 75% dos agentes de doenças infeciosas no homem são de origem animal.

Anualmente, pelo menos três novas doenças surgem tendo origem animal.

Logo, a manutenção do equilíbrio entre saúde animal, saúde humana e meio ambiente se torna indispensável, tendo em vista a interferência que as zoonoses podem gerar em todo o mundo.

Como o One Health pode ser aplicado nas empresas?

Atualmente diferentes empresas, desde os produtores de animais de corte aos mais variados segmentos que envolvem a criação e convivência habitual com animai, possuem políticas de One Health. É o caso, por exemplo, do Treville Kennel, localizado em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba (PR).

O criadouro, que é referência nacional no ramo, atualmente mantém diferentes ações para incentivar a integração saudável entre humanos e animais, incluindo os habitantes da fauna da região. Dentre elas estão: controle e destinação correta resíduos provenientes da criação; captação da própria água, rigoroso controle zoossanitário para que, além da saúde plena dos animais, o contato com os seres humanos seja seguro e saudável. A convivência em harmonia com a fauna local respeitando os limites dos nichos de cada espécie nativa.

Além disso, recentemente foi implementado um sistema de compostagem juntamente com a capacitação de colaboradores para que o destino das fezes dos animais deixe de ser descartada e possa ser reciclada.

“Com a composteira reciclamos uma coisa que nós mesmos produzimos aqui dentro. Nós coletamos e tratamos esses resíduos e posteriormente utilizamos esse composto na parte de jardinagem do canil”, explica Tatiane Moreno, Zootecnista que atua na elaboração e aplicação de políticas de One Health no Treville.

Através do sistema de compostagem é possível garantir a destinação correta desses resíduos. Todo o ciclo desses materiais fica dentro do espaço do canil, e as etapas são feitas de modo a garantir mais segurança para as pessoas que atuam no local, os pets e a própria fauna.

“A gente precisa pensar nas três coisas: na saúde das pessoas, na saúde dos animais e no impacto no meio ambiente. A saúde única trabalha com foco nesses três aspectos”, complementa Tatiane.

Hoje o criadouro garante não apenas a saúde dos próprios animais, como faz o controle de zoonoses da fauna local através de ações amigáveis ao meio ambiente. É o caso, por exemplo, do pomar que fica na propriedade.

Ele alimenta os pássaros da região, que, por sua vez, fazem o controle de insetos e pragas. Inclusive, atualmente o canil já não possui problemas com carrapatos e outras zoonoses. Como focos de mosquitos transmissores de Zica, Leishmaniose e outras doenças que podem ser levadas aos seres humanos tendo o cão como vetor temporário.

Outra preocupação é com a Brucelose, doença bacteriana, que além de esterilizar reprodutores, pode ser transmitida ao ser humano trazendo inúmeros problemas inclusive para gestantes. Para isso o criadouro conta com um rigoroso sistema de controle sanitário com visitações restritas, tapetes para desinfecção de visitantes e uma área de quarentena com exames para qualquer cão que volte de eventos ou exposições.

Essas e outras ações do Treville Kennel podem ser acompanhadas diariamente no Instagram @TrevilleKennel.

Pandemia mostra a importância da saúde coletiva

Em 2020 o mundo viu como o controle de zoonoses, que faz parte do conceito de One Health, tem sua relevância. Até o momento, quase 2 milhões de pessoas vieram a óbito por conta da doença.

Em entrevista para o portal VivaBem, o professor Marcos Jank, especialista em Agronegócio Global e titular da cátedra Luiz de Queiroz da Esalq-USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo) salienta que o controle de zoonoses deve ser uma preocupação constante.

“Assim como a mudança climática é um problema global, acredito que a Covid-19 vai deixar claro que a questão da saúde humana e animal é uma prioridade para a humanidade que, atualmente, se vê extremamente frágil com a eclosão de um vírus”, ressalta Jank.

Isso mostra que a saúde única deve ser uma preocupação não apenas da administração pública, mas também das empresas e dos próprios consumidores.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.