Procura por profissionais da psicologia aumenta na pandemia

3/11/2021 –

Dificuldades enfrentadas em meio ao cenário pandêmico envolvem causas para o aumento de transtornos psíquicos e maior necessidade de profissionais da psicologia.

De vez em quando, um evento marcante como o nascimento de uma criança ou a morte de um ente querido causa um conjunto de sentimentos, alterando o estado de ser e viver a vida, sendo por vezes necessário recorrer a profissionais da psicologia. Mas raramente há um impacto psíquico que afeta coletivamente a sociedade.

No entanto, a pandemia do novo coronavírus tem sido um trauma global, uma vez que todos estão “juntos”, por assim dizer. Todos têm um “antes” e um “depois” pessoal e foram afetados de alguma forma pelo vírus; Tudo isso gera impactos emocionais a nível social, fazendo com que os números apontem para um aumento na procura por profissionais da psicologia.

Nesse contexto, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) divulgou uma pesquisa que aponta que 60% da população tem ansiedade ou depressão nas Américas, alertando para uma crise de saúde mental devido à pandemia. Os dados reiteram o que diz o Instituto Ipsos, o qual declarou que mais da metade dos brasileiros disseram ter tido pioras consideráveis na saúde mental no último ano. Diante de tais circunstâncias profissionais da saúde mental, sobretudo psicólogos, estão sendo cada vez mais requisitados.

Os impactos mentais da pandemia

De fato, cada ser humano foi afetado de forma pessoal por essa pandemia que assolou todo o globo terrestre. Nos quase 2 anos desde que a pandemia começou, mais de 4,7 milhões de pessoas morreram em todo o mundo, as economias ficaram escassas, as pessoas perderam seus empregos, foram trancadas dentro de suas casas, perderam funerais de entes queridos e cancelaram casamentos.

Além disso, as preocupações com uma nova onda de infecções suscitadas pela variante infecciosa delta estão aumentando. É inevitável que esse contexto não suscite danos para a saúde mental, resultando em aumento nos casos de transtornos mentais. Por exemplo, de acordo com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o índice de pacientes com sintoma de depressão ultrapassa 90% na pandemia.

Aumento pela procura de profissionais da psicologia

Diante de tais circunstâncias adversas para o bem-estar mental, muitas pessoas têm buscado suporte especializado a fim de que se possa recuperar o equilíbrio para realizar as atividades cotidianas com alegria e disposição, mesmo diante das adversidades. Assim, o aumento da procura de profissionais não só da psicologia, mas da saúde mental como um todo, tem sido observado em várias cidades ao redor do país.

Por exemplo, de acordo com dados do portal G1, a procura por atendimento na rede municipal de saúde mental de São Paulo aumentou 116% em um ano, em meio à pandemia de Covid-19. O número de atendimentos nos 95 endereços dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) da capital mais que dobrou: passou de 24 mil em setembro de 2019 para 52 mil em outubro de 2020.

Nos consultórios particulares o movimento também aumentou. Um levantamento feito pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) entre os meses de agosto e novembro identificou que houve um aumento de 82% no número de novos casos de transtornos mentais. O estudo mostra ainda que 70% dos pacientes que já tinham recebido alta do tratamento tiveram recaídas durante a pandemia.

Dicas dos profissionais da psicologia para melhorar a saúde mental na pandemia

Os seres humanos são suscetíveis a muitas doenças infecciosas diferentes, incluindo o novo coronavírus (COVID-19). Preocupar-se com as doenças é uma reação normal. Mas, a preocupação excessiva com doenças infecciosas pode afetar tanto a saúde física quanto mental. Por isso, há algumas habilidades psicológicas práticas para ajuda a lidar com ansiedade e preocupação diante do cenário que se vive hoje:

Busque informação confiável

Uma maneira de administrar bem dados é acessar as informações corretas, ou seja, fontes nas quais se pode confiar. Considere, por exemplo, fontes como a Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde e FIOCRUZ. Promessas “milagrosas” ou dados que não condizem com o que a ciência diz apontam para informações pouco confiáveis.

Organização

Um bom antídoto para o estresse e a preocupação é ficar ativo e organizado. Fazer planos, escrever listas para compra, organização e continuar a fazer isso com consistência dá, segundo os especialistas, um grande senso de propósito diante da vida, melhorando a saúde mental.

Ao organizar a vida diária é mais fácil reconhecer o estresse estressado, encontrando o que pode ser feito para melhorar esta situação. A família ou amigos também são grandes fontes de suporte para falar sobre planos e também no auxílio para se organizar.

Pensar adiante

Lembrar sempre que isto tudo vai passar é importante para ter um olhar de esperança benéfico para a saúde mental. Os especialistas da psicologia afirmam que é importante ter confiança de que as coisas vão melhorar, que as pessoas se recuperarão.

Além de manter os objetivos de longo prazo, os profissionais recomendam também pensar em coisas que serão feitas cada dia e a cada semana, o que causará prazer em realizar. Mais uma vez, tentar trazer aos outros os planos é uma forma de compartilhar dores e aflições, sonhando juntos com um amanhã melhor.

Hoje em dia, é possível procurar um profissional da psicologia online e realizar as sessões sem sair de casa. Mais informações sobre o tópico em: https://clinicacleuzacanan.com.br/blog/psicologo-online/

Website: https://clinicacleuzacanan.com.br/blog/psicologo-online/

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.