Alerta de golpe envolvendo serviços prestados por economistas

Um novo tipo de golpe, executado por meio de aplicativos de mensagens, vem causando muita preocupação aos dirigentes do Conselho Federal e dos Conselhos Regionais de Economia, por utilizar o nome da instituição e até mesmo a imagem de uma carteira profissional falsa.

Os golpistas enviam mensagens passando-se por representantes de instituições bancárias e oferecendo empréstimos a taxas de juros baixas. Para ter acesso a esta taxa, seria necessário obter um certificado de viabilidade econômica – documento que, na verdade, não existe.

Os bandidos ainda se oferecem para ajudar as vítimas a obter o suposto documento junto ao Conselho Regional de Economia e cobram uma tarifa no valor de até novecentos reais, dizendo que a maior parte deste valor é para pagar taxas do próprio Conselho. O golpe acontece quando a vítima transfere este valor aos golpistas.

O Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Economia vêm trabalhando em conjunto para difundir esta informação, de modo que a sociedade tenha o conhecimento de que se trata de um golpe. Além disso, o Cofecon já entrou em contato para informar a Polícia Federal e o Ministério Público.

Carteira profissional

Em outros golpes realizados por meio de aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, bandidos pedem dinheiro em nome de uma pessoa e até utilizam fotos dela. Este novo golpe envolve algo ainda mais sofisticado: a imagem de uma carteira profissional falsa, para tentar convencer as possíveis vítimas de que a história é verdadeira. As informações que constam na carteira falsa podem ser verificadas junto ao Conselho Regional de Economia, que é quem emite o documento.

As recomendações, neste caso, são as mesmas de outras tentativas de golpes aplicados por SMS, whatsapp, e-mail, redes sociais ou chamadas de voz: não fornecer dados pessoais (nome, números de documentos, endereço, entre outros) em resposta a qualquer tipo de anúncio.

Não existe nenhum documento chamado certificado de viabilidade econômica. Mas ainda que os golpistas mencionassem o nome de um documento que existe, é preciso desconfiar sempre que receber uma mensagem não solicitada oferecendo supostas condições vantajosas para obter um bem ou serviço.

Em caso de dúvida com relação ao registro de economistas, a recomendação é o contato direto com o Conselho Regional de Economia do respectivo estado, que é o órgão fiscalizador e responsável pela proteção da sociedade em temas relacionados ao exercício ilegal da profissão de economista. Já o Conselho Federal de Economia pode ser acionado pelo e-mail cofecon@cofecon.org.br.

Comentários estão fechados.