Destinos turísticos combinam contato com a natureza e sustentabilidade

A relação das pessoas com o turismo é algo que se modificou completamente após o início da pandemia. Como resultado disso, as viagens foram bastante impactadas. Um fenômeno muito interessante que ocorreu após o retorno desta atividade foi aumento de consumidores eco conscientes, com maior propensão para realizar as viagens ambientalmente corretas. “A afirmação está apoiada por resultados que mostram que seis em cada dez famílias (60%), com idades entre 25 e 40 anos, dizem prestar mais atenção ao impacto ambiental de suas viagens no futuro, em comparação com a pré-pandemia”, salienta Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News (www.revistaecotour.news).

Esta temática foi levantada durante o Global Travel Summit 2022, evento virtual do Grupo Allianz Partners que teve duração de três dias e contou com mais de mil participantes. As tendências apresentadas no Summit foram baseadas em extensas pesquisas realizadas tanto pela Foresight Factory quanto também pelo Customer Lab da Allianz Partners, que descobriu que agora é, mais do que nunca, socialmente desejável colocar o planeta em primeiro lugar e fazer escolhas mais éticas, sustentáveis e mais verdes na hora de realizar uma viagem.

Segundo Joe Mason, Diretor Global de Marketing do Grupo Allianz Partners, o evento deste ano apontou tendências emergentes na indústria de viagens, e é claro que uma forte recuperação no setor está sendo percebida juntamente com um novo conjunto de desafios. “A volatilidade econômica, a agitação geopolítica e o aumento do custo de vida, juntamente com o desejo de fazer escolhas sustentáveis e ecológicas, terão um impacto duradouro em neste segmento”, afirma.

O ecoturismo tem sido uma das opções para quem deseja fazer uma conexão com a natureza, através de atividades realizadas em meio ao verde que as belezas naturais proporcionam.

Bonito é o destino de ecoturismo mais visitado do Brasil e conta com diversas opções de atrativos. A cidade localizada no Mato Grosso do Sul tem uma série de peculiaridades. Junto com os municípios de Jardim, Bodoquena, Porto Murtinho e Miranda, formam um importante cinturão turístico no entorno do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, uma área de conservação ambiental localizada na borda da planície do Pantanal.

“Os parques Caverna do Diabo e Intervales (localizado em Ribeirão Grande (SP), são ótimos para quem procura sossego e aventura. O Monumento Natural Estadual (MONA) Pedra do Baú que fica em São Bento do Sapucaí (SP) é para aqueles que procuram ecoturismo e lindos cenários. Já os amantes de ilhas, podem ir para os Parques Estaduais Ilha Anchieta, localizado em Ubatuba (SP) e Ilha do Cardoso, em Canenéia (SP)”, enfatiza Vininha F. Carvalho.

Criado em 2008, os parques integram o Mosaico de Unidades de Conservação do Jacupiranga, composto por outras 13 unidades com o objetivo de proteger a Mata Atlântica. São mais de 40 mil hectares distribuídos entre os municípios de Eldorado, Barra do Turvo, Cajati e Iporanga. O principal atrativo é a Caverna do Diabo. A unidade conta com trilhas, cachoeiras e fauna e flora variadas, com animais como jacutingas, onças e macacos, além de árvores nativas como araçás, guapuruvus e palmitos-juçaras.

Descobrir as ilhas do Litoral Norte de São Paulo em um passeio de barco faz parte do roteiro nesta região. As cinco cidades que compõem o Circuito Litoral Norte, Bertioga, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba, contam com diversas ilhas, ilhotes e arquipélagos que formam um cenário paradisíaco e perfeito para um roteiro mar adentro.

“Desde que priorizada a segurança dos visitantes e respeitadas às normas para preservação ambiental, estes locais oferecem paisagens deslumbrantes e são alternativas para os turistas que estão em busca de lazer e aventura. Esses tipos de roteiros movimentam diversos segmentos, como o ecoturismo, turismo de aventura e o turismo náutico”, finaliza Vininha F. Carvalho.

Comentários estão fechados.