Empresas de chips internacionais investem em opções para diversos perfis

Sair do aeroporto, fazer uma ligação telefônica em um telefone público, comprar um mapa, um guia, e entrar em contato com os amigos e familiares por meio de cartões postais. A cena, comum em filmes dos anos 1980 e presente nas lembranças de algumas pessoas, não é mais uma realidade. Hoje, o turista que desembarca em diferentes cidades do mundo busca, em primeiro lugar, uma conexão de internet estável para utilizar, em seu smartphone, todos os recursos descritos no início deste parágrafo.

Apesar disso, conseguir se conectar à internet em outro país pode configurar um desafio para alguns viajantes, afirma Anízio Rodrigo da Silva Magalhães,  especialista de administração estratégica no setor de telecomunicação, CEO da America Chip, empresa que atua com roaming internacional.

“A maioria dos brasileiros, mesmo os que fazem viagens internacionais, não possuem domínio da língua inglesa. Com isso, há uma grande dificuldade ao escolher um plano de dados, voz e texto ao chegar em seu destino”, explica. “Sem mencionar a demora com a qual, via de regra, o turista se depara ao procurar uma loja de telefonia local que venda o plano pré-pago para uso em um curto espaço de tempo”, complementa.

Passada a fase mais crítica da pandemia de Covid-19, o que não falta é vontade de viajar: 63% dos turistas de todo o mundo afirmaram que esperam compensar o tempo de férias que passaram em confinamento, de acordo com a pesquisa anual da Booking.com sobre “Previsões de Viagem”.

Paralelamente, uma análise da empresa de tecnologia financeira Wise aponta que mais de 60% dos brasileiros estão inclinados a viajar para o exterior. Segundo o estudo, divulgado em setembro do último ano, 88% dos participantes confirmaram que pretendem explorar outros países.

Chip internacional oferece opções para cada turista

Magalhães explica que um chip internacional é um dispositivo para ativar um plano. “Os planos podem ser contratados de acordo com a quantidade de dias da viagem. Também existem planos de trinta dias diretos, que podem ser renovados por mais trinta, o que pode variar de empresa para empresa. Existe uma variação muito grande de serviços, desde planos básicos, com contratação específica de GB, a planos ilimitados, a fim de atender turistas com diferentes objetivos”.

Segundo o especialista, a classe média é o principal público que consome chips internacionais. Ele sustenta que o mercado tem se desenvolvido nos últimos anos e ainda tem muito para crescer no Brasil. “Com a chegada de novas tecnologias, cada vez mais as pessoas passam a ser reféns da internet. Com isso, a primeira coisa que pensamos ao viajar é ‘como vou fazer pra ficar conectado?’. Neste momento, empresas que atuam com chips internacionais são uma solução”.

Para concluir, o especialista da multinacional América Chip, com sede nos Estados Unidos e filial na Europa, ressalta que é importante prestar atenção a alguns cuidados ao fazer a contratação de um plano. “Veja se a empresa é confiável, se responde bem aos clientes e se o suporte vai existir a qualquer momento. Assim, você terá a garantia de que terá uma viagem tranquila, com a conexão necessária para que tudo corra bem”.

Para mais informações, basta acessar: https://americachip.com/

Comentários estão fechados.