Especialista explica as principais técnicas e aparatos usados na desratização

Eles são pequenos, silenciosos e ágeis, fazem parte das fábulas infantis, da literatura e da cultura pop. Subdivididos em mais de duas mil espécies, os ratos deixaram o campo no século 19, embarcaram em navios, atravessaram oceanos e formaram uma população que, queira o ser humano, ou não, teima em viver junto a grupos de pessoas, constituindo uma praga urbana – que, inclusive, transmite doenças. 

As secretarias de saúde do Rio de Janeiro estão em alerta para o aumento de casos de leptospirose – doença causada pela bactéria Leptospira, transmitida pela exposição direta ou indireta à urina de roedores. Desde janeiro, 192 casos suspeitos da doença foram notificados pela Coordenadoria Municipal da Vigilância em Saúde. Paralelamente, a Bahia registrou 46 casos de leptospirose no estado em 2022, de acordo com a Sesab (Secretaria da Saúde do Estado da Bahia). Das ocorrências, 21,7% ocorreram em Salvador.

Em São Paulo, segundo a SMS (Secretaria Municipal da Saúde), foi identificada a redução de cerca de 50% nas mortes durante dois períodos: 133 (2012 a 2016) para 67 (2017 a 2021).

Gleison Pinheiro, diretor da PUMJIL, empresa que presta serviços de desratização e Desentupimentos no estado de São Paulo, explica que existem três espécies de ratos que são potencialmente danosas e habitam os centros urbanos: ratazanas (Rattus norvegicus), ratos de telhado (Rattus rattus) e camundongos (Mus musculus).

“Para ficar livre da presença de roedores, e dos perigos trazidos por essas pragas, é preciso empreender medidas preventivas, mas, quando os ratos já estão presentes, é necessário contratar o serviço de desratização, que deve ser realizado somente por profissionais qualificados”, afirma.

Prevenção e desratização 

De acordo com Pinheiro, as épocas do ano com temperaturas mais amenas são os momentos mais propícios para o aparecimento maior dos roedores. “O outono e o inverno são épocas em que a aparição de ratos aumenta devido à procura por abrigos secos e livres de umidade”.

Neste ponto, o especialista destaca que a tomada de medidas preventivas é essencial para prevenir o aparecimento de roedores em casa. “Cuidados simples são essenciais, como limpar restos de alimento, descartar objetos sem uso, não deixar acessos abertos, manter terrenos e jardins limpos e vedar o lixo adequadamente”, orienta.

Pinheiro conta que a desratização é realizada por meio da aplicação de produtos químicos que são posicionados por profissionais em dedetização para acabar com os ratos de casas e empresas. Entre as principais ferramentas e técnicas utilizadas para a desratização, ele relata que a “iscagem” e o “tamponamento de túneis” são os recursos mais efetivos.

“Contudo, vale destacar que os procedimentos não devem ser feitos por amadores, pois o contato com os roedores configura perigo para a saúde humana”, conclui.

Para mais informações, basta acessar: https://pumjil.com.br/

Comentários estão fechados.