Mesmo em estágio inicial, 5G terá 1 bilhão de usuários em 2022, diz relatório

Em um mundo cada vez mais conectado à internet, a expansão e melhorias no setor tecnológico tornam-se cada vez mais necessárias. Novidade no mercado, o 5G é a última geração móvel lançada, gerando bastante otimismo de especialistas. De acordo com relatório da GSMA, a estimativa é de chegar a 1 bilhão de pessoas conectadas ao 5G até o final de 2022. Até 2025, segundo o levantamento, a quinta geração de internet móvel será responsável por cerca de um quinto do total de conexões móveis do mundo. No Brasil, a Anatel estima que até setembro de 2022 todas as capitais brasileiras já estarão dotando desta novidade. Em janeiro de 2022, de acordo com o Ministério das Comunicações, 12 capitais brasileiras já estavam aptas para receber a nova tecnologia.

Dentre outros motivos, o relatório vê esse crescimento rápido do 5G pelo mundo impulsionado pela retomada econômica pós pandemia de coronavírus, além das 200 redes 5G previamente existentes em 70 países, operadoras que já fornecem sinal para a nova tecnologia e uma vasta lista de smartphones existentes já habilitados ao 5G. “O 5G já aparece como uma rede com mais alcance do que o 3G e 4G, se formos comparar o mesmo ponto de partida de ambas. O impulso se deve a fatores inovadores, como serviços de streaming, vendas crescentes de aparelhos 5G e expansão de cobertura de rede”, disse Alex Sinclair, diretor de tecnologia da empresa.

O 5G é a quinta geração de internet móvel e, em comparação ao 4G, busca aumentar a velocidade de um download. É o que explica o especialista em soluções de conectividade móvel da empresa Thales, André Mattos. O profissional destaca o potencial existente na quinta geração, e compara a qualidade do 5G com a das outras gerações. “Com a rede 3G, os smartphones têm, em geral, velocidades de download de até, aproximadamente, 2 Mbps. Em comparação, às redes 4G permitem download a velocidades de cerca de 3 a 5 Mbps, que é quase a mesma velocidade que muitos computadores domésticos recebem via modem a cabo ou DSL. A velocidade de download de pico das redes 5G é de até 20.480 Mbps, o que representa um enorme avanço, se comparado a qualquer geração anterior”, destaca.

Com a chegada desta tecnologia, muitas pessoas ao redor do mundo poderão enviar e receber dados de forma quase instantânea. “É um fator essencial para atividades como transmissão de um jogo ao vivo em realidade virtual ou para um cirurgião em Nova York controlar um par de braços robóticos que executam um procedimento em Santiago”, explica o especialista em tecnologias ópticas para redes da próxima geração, Abraham Valdebenito.

Os números da GSMA mostram que, esse crescimento exponencial é a apresentação geracional mais rápida em comparação ao 3G e 4G, pois em 18 meses após seu lançamento, a quinta geração já tinha 5,5% das conexões móveis – contra menos de 2,2% do 3G e 4G no mesmo período. Para o especialista em tecnologia, inovação e segurança digital, Arthur Igreja, o 5G possibilita a criação de novos negócios, assim como as primeiras gerações permitiram a evolução das plataformas de vídeo, no início dos anos 2000. “[Com o 5G] se consegue fazer uso da inteligência artificial e de tanta tecnologia que está disponível, e não serve apenas para redes sociais — serve para melhorar nossa vida em vários âmbitos”, disse.

Além de trazer dados relevantes e já avançados sobre a chegada do 5G no mundo tecnológico, o levantamento da GSMA considera necessário o alerta às operadoras, empresas e governos, sobre o valor que essa nova tecnologia pode proporcionar. A organização preparou um estudo de caso chamado 5G Transformation Hub mostrando a importância da nova tecnologia no cotidiano das pessoas, tais como na parte de lazer, infraestrutura, indústrias, transporte e afins. 

Comentários estão fechados.