Consórcio de prefeitos do ABC Paulista pede mais leitos de UTI

O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC enviou, nesta quinta-feira (26), um pedido de retomada das internações de pacientes de Covid-19 e da ampliação do número de leitos estaduais de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes das sete cidades do ABC Paulista. O motivo é o aumento de casos na região e na ocupação de leitos destinados para os pacientes com coronavírus.

O presidente do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, Gabriel Maranhão, que também é prefeito de Rio Grande da Serra, solicita, “em caráter de urgência, que o Hospital Estadual Mário Covas (Santo André) e o Hospital Estadual Serraria (Diadema) retomem imediatamente as internações de pacientes com Covid-19 e ampliem o número de leitos para atendimento dos pacientes da região”.

O requerimento foi enviado para o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) e ao secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn.

O comitê de saúde que assessora o governo de São Paulo no combate à Covid-19 recomendou na terça-feira (24) um aumento nas restrições de circulação no estado para combater o avanço do coronavírus. Apesar disso, a gestão de João Doria (PSDB) deve analisar os indicadores de saúde do estado apenas na segunda-feira (30), um dia depois do segundo turno das eleições municipais.

Segundo dados do Consórcio, a ocupação nos leitos municipais exclusivos de UTI para pacientes de Covid-19 subiu 21 pontos percentuais em três semanas. Entre os dias 5 e 26 de novembro a taxa foi de 44% para 65%.

Ainda de acordo com os dados do Consórcio, o “aumento das internações é reflexo do aumento de casos no último período. Segundo informações disponibilizadas no portal de acompanhamento da pandemia da Fundação Seade, a região registrou aumento de 32,1% nos casos nos últimos 30 dias”, considerando o levantamento até quinta-feira (26). As mortes foram reduzidas em 17,1% no mesmo período em comparação com os 30 dias anteriores.

Os dados do Consórcio ainda indicam que “a Região Metropolitana de São Paulo, como um todo, apresentou variação positiva de 29,7% no mês, com redução de 2,4% nos óbitos.”

O ofício enviado ao governo estadual argumenta que houve “expressivo aumento da taxa de internações em UTI nos hospitais municipais da região do Grande ABC nos últimos dias, que a região está recebendo muitos pacientes graves oriundos de diversas localidades, em função da pactuação firmada com a Secretaria de Estado da Saúde”.

O documento ainda menciona como argumento para o pedido novas vagas “a possibilidade de não haver leitos disponíveis para atendimento dos pacientes residentes nas cidades do Grande ABC nos próximos dias, que a reabertura de hospitais de campanha não será possível no curto prazo, que as solicitações de internações dirigidas à Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (CROSS) têm sido encerradas sem atendimento”.

Com informações do G1

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.