Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, disse que o general Antonio Hamilton Mourão, que admitiu a possibilidade de uma intervenção militar no país em função da crise institucional e política, não será punido

Comandante também declarou que a possibilidade de uma intervenção “ocorre permanentemente” e que e “as Forças Armadas têm mandato para fazer [uma intervenção militar] na iminência de um caos”.

Afirmação segue a linha do discurso defendido por Mourão, que disse que o Exército tem “planejamentos muito bem feitos” sobre o assunto. Declaração também desautoriza o ministro da Defesa, Raul Jungmann, que havia pedido explicações e cobrado “medidas cabíveis a serem tomadas” contra Mourão.

Informações do Portal 247

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.