Depois da resposta do Hospital Sírio Libanês, de que o advogado Roberto Teixeira não visitou Glaucos quando de sua internação, o juiz de piso Sergio Moro extrapolou de sua função de juiz julgador e se transformou em investigador, já que não houve provocação do Ministério Público.

O desmentido em questão é sua reação diante do ofício do hospital em resposta ao que disse o candidato a delator. Moro não se conforma, e bate fora do martelo da Justiça.

Leia a nota de Cristiano Zanin:

MORO NÃO SE CONFORMA QUE A ACUSAÇÃO RUIU

Mais uma vez o juiz Sérgio Moro age como investigador e acusador, fora de suas funções e sem imparcialidade, ao questionar de ofício (sem provocação) resposta do hospital Sírio Libanês que foi desfavorável à sua pré-estabelecida tese condenatória.

A verdade é que a absurda versão do Sr. Glaucos foi desmentida, pelos recibos e pela ausência de qualquer registro de visita do advogado Roberto Teixeira a Glaucos no hospital em dezembro de 2015. O advogado esclareceu que foi internado em meados 2016 no Sírio Libanês, fato sem qualquer relação com a falsa narrativa do Sr. Glaucos.

É repugnante que um advogado septuagenário, cardiopata e de saúde frágil seja perseguido dessa forma, tenha sua vida devassada, apenas porque o juiz não se conforma que a acusação ruiu.

O juiz Sérgio Moro não respeita a advocacia, não respeita os limites de suas funções e sobretudo, não aceita que as fantasiosas versões da acusação sejam desmentidas por fatos e documentos idôneos.

Cristiano Zanin Martins

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.