O prefeito João Doria anunciou a distribuição de um composto alimentar feito a partir de restos de comida oferecidas por grandes empresas em troca de benefícios tributários. Uma ração para humanos, sem meias palavras. Isso por si só já seria um grande problema, já que os conselhos e entidades que discutem nutrição e segurança alimentar argumentam que a medida é um retrocesso. O problema vai além de distribuir ração para pessoas.

A empresa que produz e distribui o produto, a Sinergia, é um aglomerado com ligações muito nebulosas, inclusive com a Monsanto. Tem muita coisa que a Prefeitura está preferindo esconder.

O que está por trás dessa empresa, que não possui uma fábrica sequer? Quais são os valores envolvidos no programa e que ganho a cidade terá com isso tudo?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.