Professor de Harvard: alienígenas passaram perto da Terra em 2017

O ex-chefe do Departamento de Astronomia da Universidade de Harvard, EUA, Abraham Loeb, afirma que espaçonave alienígena se aproximou de nosso planeta em 6 de setembro de 2017.

Na ocasião, segundo Loeb, o objeto extraterrestre viajou em direção ao nosso Sistema Solar vindo da estrela de Vega, que fica a cerca de 25 anos-luz de nós.

No livro, Abraham Loeb, também chamado de Avi Loeb, escreveu que o objeto passou próximo da Terra antes de “se mover rapidamente em direção à constelação de Pegasus e à escuridão além”, publicou o tabloide Daily Star trecho do livro.

Contradizendo a opinião de outros cientistas que acreditam que o objeto seria um cometa, Loeb, que chefiou até 2020 o Departamento de Astronomia da renomada Universidade de Harvard, é fiel à opinião de que Oumuamua pertence a uma forma de vida alienígena inteligente.

Acreditando que a civilização humana não está só no Universo, Loeb disse:

“Algumas pessoas não querem discutir a possibilidade de que existem outras civilizações lá fora […]. Elas acreditam que somos especiais e únicos. Eu acho que isso é preconceito que deve ser abandonado.”

O professor também acredita que novas descobertas semelhantes serão feitas no futuro próximo.

Inicialmente, a espaçonave foi flagrada por um observatório localizado no Havaí, EUA, e chamado de Oumuamua, que significa escoteiro na língua havaiana.

Em 6 de setembro de 2017, a espaçonave teria sido interceptada pelo cientista segundo revelado em seu livro “Extraterrestrial: The First Sign of Intelligent Life Beyond Earth” (“Extraterrestre: o primeiro sinal de vida inteligente fora da Terra”, em tradução livre do inglês) com lançamento previsto para 26 de janeiro nos EUA.

Trump ordena ao Pentágono entregar ao Congresso dados confidenciais sobre OVNIs

Neste sábado (2), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ordenou ao Pentágono que entregue aos membros do Congresso norte-americano todas as informações confidenciais referentes a OVNIs (objetos voadores não identificados). A informação é do diário argentino Página/12.

A medida, baseada em um documento de mais de 5 mil páginas, estabeleceu um prazo de 60 dias para que os arquivos sejam colocados à disposição dos congressistas estadunidenses.

Se trata de uma das últimas iniciativas do governo de Trump, que deve deixar a Casa Branca no dia 20 de janeiro, após entregar o cargo a Joe Biden.

Segundo o presidente estadunidense, a medida tem como objetivo “gerar uma base objetiva para avaliar a relevância do tema e suas implicâncias para a segurança nacional”.

O relatório a ser entregue deve conter os detalhes das observações de objetos voadores não identificados, juntamente com análise das informações. Além disso, deve haver análise dos dados do FBI, derivados por sua vez de investigações de fenômenos não identificados no espaço aéreo norte-americano.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.