A Prefeitura de Santo André iniciou, na tarde de ontem, obras de revitalização no trecho andreense da Avenida dos Estados. Na primeira fase serão investidos cerca de R$ 10 milhões no trecho de três quilômetros entre a Rua do Ouro, no limite com São Caetano, e a entrada do bairro Santa Teresinha.

O tempo de execução previsto nesta primeira fase é de aproximadamente 100 dias, com investimento próprio da Prefeitura. A segunda fase, em parceria com o governo do Estado, vai contemplar trecho entre a entrada do bairro Santa Teresinha e o Viaduto Adib Chammas, e será iniciada até o fim do ano. A terceira fase, prevista para o primeiro trimestre de 2021, será realizada em parceria com o Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica), do Viaduto Adib Chammas até o limite com o município de Mauá. Os trechos receberão ampliação da drenagem, pavimentação asfáltica, contenção, iluminação de LED e paisagismo.

O secretário de Manutenção e Serviços Urbanos, Vitor Mazzeti Filho, detalha que, por semana, a expectativa é a de avançar com as obras em pelo menos 300 metros por trecho. “O importante é que nunca fecharemos totalmente algum trecho da avenida, até porque, prejudicaria muito o trânsito, principalmente com a flexibilização. Então, quando precisarmos do lado esquerdo da via, fecharemos, mas deixaremos livre as demais faixas, sem prejudicar o trânsito”, garante.

As três etapas do projeto vão consumir cerca de R$ 48 milhões dos cofres públicos, sendo R$ 30 milhões repassados pelo Estado e R$ 18 milhões dos cofres municipais.

EXPERIÊNCIA

A publicitária Joana Golt Alves, 29 anos, trabalha em São Paulo e mora em Santo André e todos os dias precisa passar pela Avenida dos Estados. Ela comenta que os problemas são recorrentes na avenida e acredita que a revitalização trará mudanças significativas. “Acho que toda mudança é bem-vinda. Sendo assim, as demais cidades que também acabam sendo responsáveis por algum trecho da avenida poderiam dar continuidade nesse trabalho, assim fica algo padrão e eficiente em todos os pontos”, comenta.

O motorista de aplicativo Jorge Munhoz, 42, apoia o projeto. “Principalmente, em relação à iluminação. Em alguns trechos acaba sendo perigoso para nós, motoristas, e, principalmente, aos pedestres”, finaliza.

Com informações do DGABC

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.